20 Dicas de Áudio para Roadies Iniciantes.
A vida de um roadie está muito próxima ao universo do áudio, é preciso estar por dentro dos macetes, nomes e siglas! Cardióides? Auxiliar Send? DI?

Se você é um novato nesse mundo, sua cabeça deve estar rodando…

Não se assuste! Nós da Casa do Roadie sabemos como o começo dessa carreira pode ser difícil e decidimos te ajudar com 20 Dicas de Áudio para Roadies Iniciantes. Vamos começar?

  • 1 – Tenha uma noção básica de áudio. Saiba distinguir graves, médios e agudos. Isso pode ser a diferença que lhe trará mais trabalhos.
  • 2 – A frequência do som é a quantidade de vibrações (ciclos) que produz um sinal por uma unidade de tempo (o segundo). Sua unidade correspondente a um ciclo por segundo é o hertz (Hz).
  • 3 – As frequências mais altas em hertz correspondem com o que chamamos “agudos” e são por isso vibrações muito rápidas.
  • 4 – Cada instrumento musical, como qualquer outra fonte sonora, produz som em uma zona determinada deste espectro de frequências audíveis, uns ocupam mais espaço, outros menos.
  • 5 – Compressor é a ferramenta que comprimi o som, ou seja, uma vez determinados os parâmetros que se deseja comprimir, ele atua comprimindo o sinal de entrada e atenuando o sinal de saída.
  • 6 – O compressor é muito útil em canais que se tem uma grande variação de sinal, por exemplo, em uma banda onde o vocalista canta músicas mais lentas, com uma imposição vocal mais branda, mas também canta músicas “berradas”.

Eu disse que essas 20 Dicas de Áudio para Roadies Iniciantes são de bagunçar a cabeça de qualquer profissional sem muita kilometragem. Mas fique tranquilo, qualquer dúvida pode falar com a nossa equipe de atendimento. Vamos continuar…

  • 7 – Na tradução livre do Inglês, “gate” significa “porta ou portão”, ou seja, é a porta de entrada do sinal. Definindo os parâmetros corretamente, o gate elimina os ruídos indesejados de determinados canais.
  • 8 – Por exemplo, em uma bateria, enquanto o baterista está tocando bumbo, caixa e hi hat, não é necessário o sinal dos microfones dos tons, por isso é indicado inserir o gate nos canais dos tons, assim, a “porta só se abre” quando os tons são tocados. 
  • 9 – Muito cuidado, pois um gate com os parâmetros mal definidos, pode acarretar em sérios problemas de mixagem, principalmente nos retornos.
  • 10 – Os microfones costumam ser divididos em dois grandes grupos (baseados no tipo de captação), microfones Dinâmicos e os microfones Condenser ou Condensadores.
  • 11 – Os microfones dinâmicos são construídos com cápsula e diafragma capazes de suportar alta pressão sonora como bateria, instrumentos de sopro, amplificadores e também vocais para uso no palco.
  • 12 – Os microfones dinâmicos são amplamente utilizados no palco em shows ao vivo pois uma de suas vantagens é o fato de reduzir o nível de captação de ruídos de manuseio e sons vindos de outros instrumentos ou caixas de som e retorno presentes no palco.
  • 13 – Os microfones condensadores (condenser) são projetados para captar muito mais nuances e detalhes dos sons de instrumentos e de vozes. Por esse motivo é um dos tipos de microfone mais utilizados em gravações em estúdio ou até mesmo ao vivo.
  • 14 – Vale lembrar que os microfones condensadores necessitam de “phantom power” para funcionar. Phantom power é uma corrente elétrica de 48 volts disponível na maioria das mesas de som do mercado.
  • 15 – Vale ressaltar que para utilizar esse tipo de microfone para voz “ao vivo” é importante que o sistema de monitoração utilizado seja “in-ear” (com fones de ouvido intra-auriculares), caso contrário, devido à sua extrema sensibilidade de captação, ele vai captar o som dos monitores (retornos) e podem surgir microfonias indesejáveis.
  • 17 – Os microfones podem ser classificados quanto a directividade da seguinte forma: Omnidirecionais, bi-direcionais, cardioides, super-cardióides e hiper-cardióides.
  • 18 – Microfones Omnidirecionais: Captam o som da fonte não importando a direção em que este chegue a sua cápsula. Microfones Bi-direcionais: Captam o som igualmente no eixo da cápsula (0º e 180º), rejeitando o som que chega a 90º e a 270°
  • 19 – Microfones Cardióides: Captam com maior eficácia os sons emitidos na sua frente. À medida que a fonte sonora se desloca do eixo central do microfone, sua captação é reduzida. Desta forma, sons vindos de trás não são captados ou são captados com pequena intensidade.
  • 20 – Microfones Super e Hiper-cardióides: Captam além dos sons emitidos na sua frente, parte dos sons emitidos na parte de trás. Isto é bastante útil para aumentar o ganho do som, sem que haja microfonia.

Viu como é um universo rico em detalhes que podem fazer toda diferença? O segredo é melhorar cada vez mais e estudar muito a parte técnica. Espero que tenham gostado das 20 Dicas de Áudio para Roadies Iniciantes e claro, não esqueça que a Casa do Roadie está sempre por perto para te ajudar; seja com dicas, acessórios, ferramentas, cursos e muito mais! 

Deixe uma resposta