[VENEZUELA] COMO NOSSOS HERMANOS DO BACKSTAGE ESTÃO VIVENDO EM MEIO À CRISE.



O dia a dia do Louis Rondón tinha tudo pra ser parecido com o seu – companheiro de profissão que vive de shows e eventos – se não fosse um detalhe. Ele mora na cidade de Maracaibo na Venezuela. O país está  em convulsão social e até os especialistas de política e relações internacionais, sentem dificuldade em compreender o atual estado dos nossos vizinhos ao norte.

* “Tudo o que acontece na Venezuela é cercado de desinformação e enevoado pelas fake news espalhadas por apoiadores do Governo e da oposição. Na política venezuelana, tudo é espetáculo.
Para além disso, qualquer informação que recebemos de lá é filtrada pelas lentes ultrapolarizadas do diálogo político do Brasil.”

Esse trecho foi retirado do podcast Mamilos (ouça para entender um pouco mais sobre o assunto) que fez uma ótima introdução sobre os acontecimentos recentes.

Louis bateu um papo com a redação do Blog do Roadie e contou como é a vida de um roadie no país comandado (atualmente Outubro/2017) por Nicolas Maduro.

Seja bem vindo!


Qual seu nome, profissão e onde vc trabalha?
Meu nome é Louis Rondon. Trabalho de forma independente – roadie freelancer – e sou Colombo Venezuelano (vivo dividido entre Maracaibo na Venezuela e Cali na Colombia). Tenho sido stage manager e roadie por 16 anos. 


Você é um dos fundadores do grupo Roadies Venezuela. Qual o objetivo desse grupo?

O grupo mostra abertamente o trabalho de bandas, artistas e equipes, o que é feito no palco e tudo o que engloba sua produção, desde a engenharia de som até o trabalho do pessoal de palco. O grupo é formado principalmente por membros de equipes técnicas de áudio.

 Treta Política

Como você explicaria de forma resumida, o que está acontecendo na Venezuela atualmente?
Atualmente vivemos uma crise política e humanitária que tem gerado mudanças na forma de pensar do cidadão venezuelano comum.
A partir de protestos pacíficos de rua, o povo exige mudanças no governo e espera ajuda internacional.

Como a crise influencia a sua vida pessoal/profissional?
Afeta bastante! Já que muitos artistas não pagam ou não reconhecem um bom trabalho.

Isso já acontecia antes da crise? Na sua opinião, por onde passa a solução do problema de desvalorização da profissão de roadie? Aqui no Brasil temos o mesmo problema.
Isso já acontecia antes da crise, mas agora o problema se acentuou.
Infelizmente não há workshops como em outros países ou seminários, fóruns, etc, que ensinem mais sobre esta profissão.
Esse tipo de formação faz falta! Serve como motivador para aqueles interessados em aprender sobre esta profissão digna e suas habilidades, mas os altos custos não permitem o convite para pessoas de alta experiência ministrar cursos.

Na sua opinião, qual seria a solução para a Venezuela sair dessa crise?
Uma mudança imediata de políticas e do sistema de governo.
Abertura a novas autoridades e garantias ao povo a partir de eleições gerais em todos os níveis do estado, liberdade a presos políticos, etc…

Mercado de Shows e Eventos


Aqui no Brasil, o estilo musical mais tocado nas rádios é o Sertanejo. Atualmente, o que mais toca nas rádios de música da Venezuela?
Na Venezuela os estilos são variados com tendências mais ao Reaggeton e ao Pop. Mas também toca bastante o Hip-hop anglo-saxão e estilos típicos de nossa terra.

Pode falar quais os artistas que mais tocam nas rádios para nosso público do Brasil conhecer?
Bem, aqui temos o Nacho

Guaco que é uma fusão de ritmos tradicionais caribenhos com jazz.

Rawayana

 

Qual a média de cachê (em dólar$) dos roadies na Venezuela atualmente?
Esse valor diminuiu muito ultimamente certo? Qual era a média antes da crise?
A média justa deveria ser entre 300 e 400 dólares para um grande artista! Mas isso depende muito, se ele é um artista normal, a média deveria ser equivalente a 150 dólares.
Infelizmente não alcançamos isso pela situação do país, uma vez que recebemos em Bolivares, a moeda local,.

Qual a média atual que se paga em bolivares por um dia de trabalho?
Depende do tipo de trabalho, por exemplo, um roadie que não tem um vasto conhecimento, recebe 40.000 bs
(cerca de R$ 12,00) ou 50.000 bs (cerca de R$15,12)
O roadie com mais experiência  chega a receber 100.000 bs (cerca de R$31.50) e, finalmente, um roadie com grande experiência pode ganhar até 400.000bs (cerca de R$126.00)

(Cotação oficial do dia 3 de Outubro de 2017)

Conte um pouco sobre o mercado de shows, eventos corporativos, áudio e entretenimento na Venezuela.
Há muito tempo não se faz grandes eventos!
Devido à crise,  tanto as empresas públicas, como as privadas, trabalham apenas com eventos locais e de pequeno porte.

Existe alguma escola para aprender os trabalhos no Backstage? (Técnico de som, Roadie, Técnico de Luz, Produção, etc)
Não há, lamentavelmente, não existe.
Apesar da crise, desde 2016, trabalho com os pioneiros da Venezuela, levando pela primeira vez ao país a maneira profissional de trabalhar como um roadie e um técnico de palco.

Recados Finais

Vamos criar um novo grupo chamado: ROADIE AMÉRICA LATINA? Podemos divulgar nas redes e criar um grupo de discussão com profissionais de todos os países vizinhos. O que acha? Quem quiser participar é só CLICAR AQUI! ou adicionar o número
+55 11 949681418
Penso que é uma boa idéia unificar todos os roadies na América Latina e se é possível ir além..ao centro e chegar até a América do Norte!

Este é um espaço aberto para você falar o que quiser, fique a vontade! Obrigado pela entrevista, muita força para todos os cidadãos venezuelanos e um abraço especial aos colegas do backstage.
O agradecimento eterno vem de mim!
Muito obrigado, mil graças a vocês pelo apoio e por querer unificar o trabalho não só de um país sozinho mas sim desta grande América do Sul.

Deixe uma resposta